O trabalho sempre foi o meio de conseguir aspectos básicos e necessários para a sobrevivência humana: a alimentação e moradia, por exemplo. Antigamente, muitos acreditavam que, com a chegada da tecnologia, teríamos a possibilidade de trabalhar menos e garantir a nossa renda, suficiente para uma boa vida. Não foi exatamente o que aconteceu até agora. É preciso trabalhar – e muito! – para garantir a sobrevivência. 

Mas, ver o trabalho apenas e tão somente pela perspectiva da sobrevivência, faz com que o percebamos como algo enfadonho, maçante e monótono. E é isso que gera antipatia, estranhamento e até repulsa pelo trabalho. Não é à toa que, ao chegar domingo à noite, já aparecem várias mensagens no WhatsApp com o seguinte conteúdo: “Amanhã já é segunda-feira?”, “Vai começar a tristeza amanhã”, “Já acabou o final de semana”, “Não estou preparado psicologicamente pra segunda-feira”.  

Tem gente, inclusive, que sofre da chamada “síndrome da musiquinha do Fantástico”, ou seja, toda vez que escuta a música do programa já fica ansiosa e estressada para o dia seguinte, a tal da temível segunda-feira. Infelizmente, quem vê o trabalho sob essa ótica acaba por perder boas oportunidades, como se estivesse preso numa masmorra. 

Hoje, o trabalho pode e deve ir além. Ele atende também às necessidades sociais e emocionais dos humanos – nós! – como o fato de se inserir num grupo, se sentir reconhecido e ter a capacidade de usar a criatividade e autonomia em prol da realização. O trabalho faz parte da vida, sempre fez e sempre fará. E a maneira como relacionamos com ele é o que faz a diferença. 

Uma lição que nossos pais nos ensinaram desde cedo é a importância de uma boa educação para que, no futuro, tivéssemos um bom trabalho, o que significava, décadas atrás, um emprego garantido, com registro em carteira, e quem sabe, conseguir, com muita dedicação, passar em um concurso, com direito a tão desejada estabilidade no emprego. Ainda muitos esperam e almejam essas possibilidades, que são consideradas joias raras em uma época de crise econômica. Outros, porém, estão mudando seus conceitos, optando por trabalhos temporários. 

Até pouco tempo atrás, o trabalho temporário era preconceituosamente considerado inferior aos demais tipos de relações trabalhistas existentes. Tal fato é devido ao cenário ilusório que rondava os ambientes empresariais, como a ideia de a pessoa contratada não ser um ‘integrante’ formal da equipe, por ter metas e prazos diferentes dos demais, e ainda por não fazer parte da cultura organizacional. Alguns empregados efetivos chegavam a sentir seus cargos ameaçados por colaboradores temporários. Já para os contratados, as vagas temporárias eram trabalhos “incertos”, devido a não terem outras sinalizações de futuros trabalhos. Por essas e outras é que há muita gente que insiste em buscar apenas os trabalhos considerados mais “garantidos”. 

Para quem está em busca de recolocação, a maior vantagem de trabalho temporário é a flexibilidade, o que permite ao profissional aprender novas metodologias e modelos de trabalho, desde que esteja aberto às mudanças e mais preparado à adaptação. Isso atrai muitas pessoas que, por alguma circunstância, não têm a possibilidade de atuar com uma carga horária completamente preenchida – nos chamados modelos tradicionais de relação trabalhista. 

Talvez você esteja se perguntando: é possível encontrar um trabalho temporário na minha área? Sim, é possível. Mas será que basta apenas “dar um Google” e logo aparecerão várias ofertas de trabalho? Claro que não! 

Nesse mercado relativamente novo, a forma de se inserir é também bastante nova. Se procurar emprego uma vez já é difícil, imagine só a cada período, na finalização de um “job”, precisar começar tudo outra vez, desde o começo… Só o desgaste da recolocação seria um preço bastante alto. Mas, para uma atuação mais efetiva nesse cenário, há soluções também alternativas, você sabia? 

Há vagas em que a demanda de contratação

em feirasexposiçõescongressosconvençõesponto de venda é maior do que as outras mais específicas. Esse é o caso de promotor(a), degustador(a), garçom, recepcionista, manobrista, por exemplo. Na maioria dos eventos empresariais que precisam de profissionais com essas competências, a intenção é de proporcionar novas experiências aos seus clientes. É esse o chamado Live Marketing. Esse nome, que pode parecer complicado, tem por objetivo maior encantar e fidelizar o cliente. Afinal, é ele a razão ou o motivo da existência da empresa. Todas as atenções e energias devem ser canalizadas em prol do cliente. Sempre!  

É importante ressaltar que, independente de área escolhida, o profissional deverá atuar de forma a representar a empresa que o selecionou, buscando alinhamento com os seus objetivos, metas e propósitos. 

O cliente raramente saberá se você faz parte da equipe efetiva ou não. E é por isso que o alinhamento se faz necessário. Algumas perguntas podem ajudar a descobrir se você tem o conhecimento necessário da empresa a qual representa: saberia dizer o que a empresa faz? Quem é público-alvo? Qual é o propósito da empresa? Quais produtos e serviços são oferecidos em geral? Quais são os diferenciais da empresa? 

As respostas a essas perguntas são importantes para a melhor conexão com a marca/evento e para compartilhar informações aos clientes.

Mesmo que a atividade executada não esteja ligada ao atendimento do cliente diretamente, e que talvez não seja necessário posicionar-se a respeito de nenhuma pergunta, é importante saber as respostas, pois assim será mais fácil executar as atividades de acordo com os objetivos da empresa.  

Para exemplificar, imagine que você seja o manobrista do evento e sabe que o público-alvo da empresa que o contratou seja mulheres na terceira idade. O que essa informação contribui com a execução do trabalho? Talvez pudesse ajudá-las ao levantar e descer do carro, acompanhando-as até o local da recepção. E, após o evento, levar seus carros o mais próximo possível do local onde elas estão, a ponto de facilitar sua saída.  

Conectar informações sobre a empresa e as atividades que executa lhe ajudará a realizar um bom trabalho, com inovação, garantindo outros possíveis trabalhos no futuro próximo, usufruindo das vantagens oferecidas por um trabalho temporário. 

Vale a pena conhecer mais sobre o Live Marketing. Baixe o Izy Job, APP que conecta você às oportunidades de trabalhos temporários. Cadastre-se!  

Mergulhe neste mundo novo e desbrave novos caminhos ao invés de seguir a vida, temendo a próxima segunda-feira, que sempre vai chegar! 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui