O Live Marketing tem um desafio a mais na vida das empresas no mercado. À medida que os consumidores começaram a exigir mais a qualidade dos produtos e serviços, as empresas precisaram correr atrás para se adequar e não perder clientes. A busca pelas certificações, como a ISO, fez com que fosse implementada uma série de ações e padrões para garantia da qualidade. Nesta mesma direção, os serviços precisaram passar por mapeamento e organização de processos.

Altos níveis de qualidade foram alcançados pela maioria das empresas. E foi aí que se chegou a uma sinuca de bico: com níveis semelhantes de produtos, e mesmo de serviços, como se diferenciar no mercado?

O que aconteceu, para o terror dos empresários, é que a maioria dos produtos se tornaram commodities – iguais, e por isso vulneráveis a cotações populares, as pechinchas. Basta andar pelas ruas das cidades ou pelos shoppings centers observando as vitrines – pouca diferença se vê entre um produto e outro. E, mesmo numa verificação mais aprimorada, é difícil sair da igualdade na comparação dos produtos. Os serviços já começam a caminhar para isso também.

Como se destacar, então, aos olhos do cliente? Em que o Live Marketing pode ajudar você a afugentar de vez o “fantasma” das commodities?

Experiência?

O Live Marketing significa qualquer tipo de ação que visa a criar um diálogo entre as marcas, empresas e pessoas, numa interação direta, cara a cara com o cliente (mesmo que virtualmente), gerando emoções e produzindo uma opinião a respeito da marca. Ações no ponto de vendas, ativações, degustações, feiras, eventos, shows, convenções, merchandising. No mundo tecnológico, essas repercussões costumam ser expressas diretamente por eles, os clientes, sobretudo pelas redes sociais.

O que se busca é encantar o cliente, gerar experiências, surpreendê-lo, provocar sua identificação por encontrar significado na ação, engajar ou reforçar seu engajamento com a causa que a marca representa. O cliente precisa sair dessa interação marcado de forma memorável, por algo que ele não esperava – seja o nível de excelência no atendimento, a diversão além do comum (como num evento com seu ídolo), a solução encontrada para seu problema, a sensação de “me conhece e acertou em cheio!”.

O que vem acontecendo no mercado (cujo “trator da commoditização” não para de andar) é que mesmo o conceito de “experiência”, relativamente novo, tem sido interpretado de maneira equivocada. Quer ver? Tente primeiro encontrar o que há de errado com essas expressões, retiradas de textos sobre o tema: “A emoção do cliente é utilizada como ingrediente para fidelizar”. “Ocorre um retorno sobre o investimento sobre os custos iniciais de aquisição do cliente”.

Interesse genuíno

Milenar a sabedoria que ensina que não dá para colocar remendo de pano novo em roupa velha, pois o rasgão pode ficar ainda maior. A velha mentalidade que trata o cliente como CPF ou CNPJ, apenas um número na carteira, não sustenta as modernas estratégias que têm sido criadas para conquistá-lo. Podem até produzir emoções momentâneas, mas que não engajam verdadeiramente com a marca e não o fidelizam.

O cliente é gente e como tal quer e merece ser tratado! Ele no fundo sente quando não passa de objeto aos olhos de quem o atende e de quem está por trás das ações. Sabe que as ações não foram feitas para ele, mas para os seus bolsos. E a isso ele responde: pode até pagar, mas não se envolve.

Ao contrário, é a relação humana que gera o envolvimento mais profundo. E isso o Live Marketing quer promover. Não se trata de sorrisos simpáticos, mas de uma atenção voltada verdadeiramente ao cliente, que busca compreender quem ele é, interessar-se por seus gostos, objetivos, desafios e dificuldades, sintonizar com seus sentimentos e descobrir o que é importante para ele, do que não abre mão. Se esse interesse genuíno – e não interesseiro – estiver presente de fato nas ações, desde sua criação até a montagem e execução, dos bastidores à interação direta, as chances de cativá-lo são sólidas e reais.

Gente como a gente

Ao entrar no mundo de emoções do cliente, é possível inovar, criando interações inusitadas com ele. Sabe aquelas ideias “eureka!”? Coisas até simples, mas que ninguém tinha pensado antes. É o caso dos aplicativos de veículos compartilhados, que aproveitaram a antiga prática de pedir e oferecer carona, geralmente restrita a lugares onde as pessoas mais ou menos se conhecem, tentando garantir de outras formas a confiabilidade. Um sucesso! Porque entenderam a necessidade de deslocamento barato das pessoas e criaram uma solução para ela.

Sim, uma ideia pode interagir, quando parte dessa escuta, atenção e observação anterior. E, é claro, a interação também pode ser direta, por meio dos colaboradores que estão na ponta das ações de Live Marketing, como eventos, concursos e promoções e ações nos pontos de venda. Com uma real intenção de se conectar com a outra pessoa, de estabelecer uma relação gente com gente (mesmo quando intermediada pelo computador ou celular), eles podem surpreender e encantar por uma escuta diferenciada que gere respostas que atendem a demanda e tocam o coração.

A atendente de uma padaria do interior de São Paulo, ao perceber a entrada de um cliente que passava por lá todos os dias rapidamente antes de ir para o trabalho, já preparou o seu café da maneira que ele gostava. Ao se aproximar do balcão, entregou-lhe a xícara com um sorriso no rosto, chamando-o pelo nome. O cliente emocionou-se com a atenção recebida: como ela se lembrava de seu nome e da quantidade de gotas de adoçante que ele costumava colocar?

Quando o cliente é visto como gente, o colaborador se sente alguém importante para a relação, e o engajamento pode acontecer. Nela, a tecnologia pode ajudar, pois permite a criação de muitas ações para além da presencial. Quantas campanhas têm sido promovidas pelas redes sociais voltadas para a preservação do meio ambiente, o respeito à diversidade, o não aos preconceitos e vários outros valores que fazem sentido para as pessoas e as conectam com as marcas?

Os relacionamentos marcantes que as ações de Live Marketing feitas por quem se interessa verdadeiramente pela pessoa do cliente são capazes de promover podem levar ao adeus definitivo à era das commodities. Que tal experimentar?

Izy Job: tecnologia que conecta pessoas

Que tal um lugar de encontro das pessoas que desejam gerar as melhores experiências para os clientes na área de Live Marketing? Uma solução única, pela qual você pode encontrar, de forma fácil, profissionais para trabalhar em suas ações, com perfis detalhados que ajudam a acertar na contratação de quem estará frente a frente com seu cliente representando a sua marca. Nós imaginamos essa ferramenta inovadora e a criamos para você: o Izy Job.

O Izy Job é um APP para IOS e Android para os candidatos se cadastrarem e receberem suas oportunidades. E você, agência ou empresa, poderá, pelo ambiente web, encontrar os candidatos para trabalhar em ações relacionadas ao Live Marketing.

Divulgue suas vagas, insira quantas informações e detalhes julgar importantes, acompanhe as candidaturas, cadastre agências coligadas e clientes para acompanhar toda a seleção e realizar pré-aprovações. O sistema otimiza seu tempo também gerando automaticamente cartas de apresentações o varejo e contratos de trabalho.

Utilizando o Izy Job, você poderá contratar profissionais de todas as áreas necessárias, onde for realizar sua ação de Live Marketing. E os profissionais que buscam boas oportunidades no mercado de trabalho com Live Marketing finalmente terão a oportunidade de trabalhar com as melhores empresas e fazer valer todo o esforço e investimento que realizam para crescer profissionalmente.

Acesse o portal www.izyjob.com.br. É fácil! É Izy Job!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui